quinta-feira, 14 de maio de 2009



não me prives de ti… amor
preciso ficar perto de ti
quero abraçar teu corpo
apertá-lo contra mim
e sentir parar o tempo
quero passear descalça nesse teu jardim
cheirar as tuas flores
afogar a mágoa no lago que teus olhos vêem
preciso parar por um pouco
repousar no teu banco de azulejos
entrar nesse teu tempo sem tempo
sem passado e sem futuro
estou exausta
quero sentir as tuas mãos firmes
e ouvir a voz que me acalma
a tua voz
preciso escrever um novo poema
sem cuidados
sem regras
apenas sentimento
não me prives de ti… amor
não quero morrer longe de ti



8 comentários:

  1. Querida Amiga,
    Bonito poema ao desejo do amar.
    Todos os prazeres expressos pelas tuas palavras e na sensualidade de um pedido...
    "não me prives de ti..."

    bj...nho

    ResponderEliminar
  2. QUERIDA MARIA, BELÍSSIMO POEMA AMIGA... BEIJINHOS DE CARINHO,
    FERNANDINHA

    ResponderEliminar
  3. Este é um pedido intenso, sofrido, vivido por dentro para que tenha sentido.

    Porque o amor não se pede, porque a sintonia se percebe, porque cansa o que é seguido.


    Abraço

    ResponderEliminar
  4. o corpóreo sem amor é alma em estado de sítio.

    apenas ou tão somente.

    um beijo meu.

    ResponderEliminar
  5. Querida amigos:

    As saudades eram muitas, sentia a falta de escrever, de vos sentir, da vossa amizade. Mas era muito importante para mim este espaço de reflexão, esta paragem.

    Muito obrigado, pelo apoio, pelo carinho e compreenção manisfestados, ao longo destes dias de ausência.

    Bem hajam!

    Beijos e abraços com muita amizade.

    Mário

    ResponderEliminar